Entenda a hipnoterapia / O que é hipnose clínica?

A hipnose clínica (ou hipnoterapia) consiste na aplicação de técnicas hipnóticas como ferramenta terapêutica, direcionada ao tratamento de transtornos emocionais, psicológicos, físicos, além de hábitos e sentimentos indesejáveis.

Os bons resultados obtidos com a hipnose clínica ocorrem principalmente porque o processo não é voltado ao tratamento dos sintomas do problema apresentado, mas sim às causas.

Através da indução a um estado focado de consciência, conhecido como transe hipnótico, busca-se identificar e trabalhar a cadeia de acontecimentos que tornaram a pessoa suscetível a desenvolver o transtorno em questão (mesmo quando o problema se apresenta em idade avançada, quase sempre o evento causador vem da primeira infância até o início da puberdade, gerado por episódios de que a pessoa nem se lembra mais).

Tendo em vista que o processo terapêutico é baseado em nível diferenciado de consciência (mente subconsciente) o tratamento de hipnoterapia é bastante rápido, quase sempre realizado em uma única sessão (protocolo OMNI, com duração de até quatro horas) ou em seis sessões (em média, para demais protocolos de hipnose terapêutica).

Os principais problemas tratados com hipnose clínica, seja como ferramenta principal ou coadjuvante, são: depressão, ansiedade, síndrome do pânico, fobias, vícios, distúrbios alimentares, disfunções sexuais e comportamentos / sentimentos indesejáveis (baixa autoestima, timidez, falta de foco / concentração, procrastinação, luto, dificuldade na superação de traumas etc.).

A hipnose terapêutica é muito utilizada também como complemento a tratamentos médicos, tanto em distúrbios psicogênicos (que têm fatores psicológicos e emocionais como causa de sintomas físicos) quanto em casos em que as condições emocionais agem como agravantes, tais como enxaquecas, cólicas menstruais, fibromialgia, dores provocadas por tumores cancerígenos, alergias diversas, entre outros.

A hipnose clínica é reconhecida e regulamentada por diversos organismos de classe do Brasil, tais como Conselho Federal de Medicina (parecer CFM 42/1999), Conselho Federal de Odontologia (resolução CFO-185/93), Conselho Federal de Psicologia (resolução CFP 013/00) e Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (resolução COFFITO 380/2010).

Índice